AMOR DA FLOR. Por Carlos Barros

Lamia. Waterhouse, John William 1905

AMOR DA FLOR

Autor – Carlos Barros

Caminho até o jardim. Observo algumas flores ainda úmidas pela noite fria. Sinto o coração pesado, a alma cansada. Dentre todas as flores que ali estavam, uma me chama a atenção. Parece ser distinta das outras. Algumas pétalas já caíram, mas ela sobrevive. Persiste em viver. Aproximo-me. Seu aroma penetra em minhas narinas. Sou tomado por um intenso amor. Devo estar louco! Um ser humano amando uma flor?

Sinto amor por esta flor. Uma flor que me faz refletir no amor em si. Seria possível amar o amor? Como amar algo que me deixa no limiar do sofrimento? Esse amor que é lançado sobre mim mesmo ou sobre o outro. Este outro que deverá corresponder o meu amor. Devo então afirmar que o amor é um absurdo?

Existiria a vida sem o amor ou o amor sem a vida? Ou será tudo uma graciosa fantasia? Não seria o amor uma sutil e ardilosa invenção humana? O amor seria apenas um dissimulado instinto reprodutor da espécie? Talvez! Se assim for, todos foram seduzidos por esta suposta ilusão humana. Somos agora reféns do amor. Reféns da necessidade de amar. Da urgência em sermos amados. Amados pelo amor do ser amado.

No dia seguinte retorno ao jardim. Ansioso pela flor do amor. Um colibri passa por ela sem dar-lhe atenção. Uma borboleta é indiferente ao seu aroma. Minha amada flor em seus últimos dias. Parece estar definhando. Por um instante tenho compaixão. Decido arrancá-la da terra. Quero agora ficar próximo dela. Levá-la para onde for. Decisão equivocada! Seus espinhos penetram minhas mãos. Compreendo. Meu amor é egoísta. Amor com desejo de se apoderar. Vontade que ela viva uma vida humana, mas não querendo viver a existência de uma flor. Aprendo com sua sabedoria. Fincada na terra, continuaria sendo amada. Um homem amando a flor. A flor amando um homem.

Autor – Carlos Barros


Saberes e Olhares

Adicione aos Favoritos

This work by Jose Carlos Barros Silva is licensed under a

Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported License

Marcado como: ,

17 Respostas »

  1. angely,parabéns pelas qualidades de suas crônicas,muito especifica e explicativa,,,

  2. Ainda não tive tempo de ler suas crônicas, com a subtração de O AMOR DA FLOR. Confesso que gostei do que li. Reflexão e filosofia são traços fortes, perceptíveis nas linhas e nas entrelinhas, com o indefectível egocentrismo humano no desfecho que nos mostra que muitas vezes, para nós, amor é possuir, mesmo que tenhamos que arrancar, pelas raízes, o objeto amado. Avante! Bons cronistas começaram assim… Abraços

    • Meu querido Herriot. Devo confessar: vindo de você, este comentário não apenas me deixa motivado, mas, sobretudo, emocionado. Para mim, é motivo de orgulho e humildade receber uma excelente análise do meu texto oriunda de um Professor e Educador de alto nível. Espero que tenha oportunidade de ler as outras crônicas. Grande abraço. Carlos

  3. Que coisa mais bela!!!!! Ameii…
    Se realmente amamos alguém, o único que desejamos para ela é sua felicidade, ainda que não possamos estar juntos!
    Beijos.

  4. Filósofo, psicólogo, o poeta Carlos Barros nos faz refletir acerca de um sentimento tão incompreensível, …quando de fato amamos?… Que sentimento é esse? O apego, o possuir, o prender, o podar… é o reflexo do nosso egoísmo e não pode ser atribuído ao amor! Mesmo sem entender o amor sabemos que sentimentos destrutivos não não o comportam! Obrigada, agradeço antes de lhe parabenizar! Parabéns e continue a nos presentear com os seus SABERES E OLHARES!

    • Minha querida, Alba. Seu comentário me deixa feliz, pois me enche de emoção e vontade de continuar nesta difícil travessia das palavras e dos sentimentos. Obrigado! Forte abraço! Carlos.

  5. Mundo pequeno esse nosso. Vi sua poesia ‘ AMOR DA FLOR” no face de uma colega aqui em Maceió, compartilhei por ter gostado muito. Depois vi que você é de Campina Grande e amigo de Moema, uma querida conhecida de nossa família.
    Parabéns pela sensibilidade, boa sorte, que encante outras pessoas mundo afora.

    • Sidânia, fiquei bastante sensibilizado com seu comentário carinhoso. Também fico muito feliz por saber que conhece Moema, e por ter gostado do meu texto “Amor da Flor”. Continuarei compartilhando novos textos com você e todos nossos colegas. Obrigado pelas palavras de estímulo! Forte abraço! Carlos Barros

  6. Meu querido e amado irmão,suas crônicas são lindas!nos toca de maneira tão profunda.

  7. Suas crônicas são lindas , belas frases e são muito profundas ; adoro

    • Olá, Josenice. Seu comentário me deixa muito feliz. Estarei sempre pronto em compartilhar meus textos. Obrigado, e seja sempre bem-vinda ao meu Site Saberes e Olhares. Abraço forte! Carlos Barros

  8. AI EU QUE AMO TANTO QUE MESMO CANSADA DE ANDAR PELAS ESTRADAS DESSA VIDA . FANTÁSTICA QUALQUER UMA DAS SUAS POESIAS É COMO SE UM VIDENTE AS ESCREVESSEM, POIS FALAM EM VERSOS , OS NOSSOS SENTIMENTOS MUITAS VEZES TÃO FERIDO EM NOSSAS ALMAS…………MARAVILHOSO CARLOS DE BARROS PARABÉNS SEMPRE………..

Obrigado por sua visita. Seja sempre bem-vindo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

🔴 FIM DO IMPERIALISMO?

🔴 MODERNIDADE E CRISTIANISMO

🔴 DEMONIOS E ALIENÍGENAS

🔴 PARA ONDE CAMINHA A HUMANIDADE?

🔴 TEORIA DA CONSPIRAÇÃO?

🔴 ASTEROIDE 2002 NT7

🔴MEDO DO APOCALIPSE

%d blogueiros gostam disto: