REFLEXÕES DE UM TERMINAL. Por Carlos Barros

A morte do Pecador - Hieronymus Bosch

REFLEXÕES DE UM TERMINAL

Por Carlos Barros

As noites são tristes nos hospitais. Escuto gemidos e lamentações. Doentes de outras enfermarias. Caminho até a porta. Ouço passos. Funcionários de plantão que passam indiferentes. Não sou o primeiro nem o último que vai morrer. Eles sabem disso. Odeio hospitais. Sempre odiei. Corredores solitários à noite. Vejo silhuetas. Escuto sussurros. Sinto medo. O som lastimoso não suaviza. Sou apenas mais um que deixará de existir. O que encontrarei depois da morte? Deus ou o Diabo? Haverá um Paraíso? Haverá um Inferno? Talvez nada. Ninguém preservará meu nome. Serei como os animais extintos. Acabaram-se meus planos e projetos. Tudo irá para debaixo da terra. 

Volto para minha cama. Não consigo dormir. Sinto dores. A enfermeira se aproxima.

– Como vai, tá sem sono?

– Sem sono e com dores.

– Mas vai passar. Tome esse remédio que você vai dormir.

– Acho que você já viu muita gente morrer aqui.

– Como?

– Eu vou morrer, mas para vocês serei apenas um entre tantos.

– Não pense nisso. Tente dormir.

– Você tem medo da morte?

– Claro que tenho. Acho que todo mundo tem. Agora procure dormir.

Ela saiu. Fiquei só novamente. Mas por que lamentar? A morte é algo solitário. Cada um com sua própria morte. E essas dores que me atormentam. Será que a morte será um alívio para minha aflição? Como amo a vida. Não queria morrer. Será que estou amargurado por mim ou por aqueles que vão ficar? Tolice. Logo esquecerão. Talvez sintam minha falta no início. Depois o completo esquecimento. Retornarão à rotina. Descobrirão novas alegrias, novos sentidos para suas vidas. Verão outros nascerem, outras invenções tecnológicas, outras descobertas, outras mortes. O tempo é parceiro da Morte.

 

Não quero adormecer, mas o efeito do remédio já se faz presente. Devagar como a morte. Essa deusa escondeu-se na taça oferecida ao filósofo Sócrates. Sua força impulsionou a guilhotina sobre o pescoço de Maria Antonieta e Danton. Deusa que ceifa tudo e todos.

 

O sono chega lentamente. A Morte misteriosa oferecendo seu abraço morno. Abraço que por fim deixará meu corpo gélido. Talvez a última noite. Os últimos sonhos. A derradeira vontade de ver o sol nascer. Os últimos pensamentos. O último gozo da vida. Logo serei carne em decomposição. Meu corpo será dedicado como festim aos vermes. Gozarão ao devorarem minha língua e meus olhos. Nas entranhas do meu íntimo há uma estranha agitação. Algo parece avizinhar-se. Desvendarei o maior enigma da existência humana? Já não tenho forças para escrever. Amanhã continuo. Se houver um amanhã.

Por Carlos Barros


Saberes e Olhares

Adicione aos Favoritos

 This work by Jose Carlos Barros Silva is licensed under a

Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported License

Marcado como: , ,

2 Respostas »

  1. Olá Carlos, já que é impossível comentar os seus contos na UEPB, o fiz em Remígio! achei nesse texto de Machado um comentário que acredito ser de seu interece, do interece desse seu texto:

    “Um dia, o nosso Rubião, acompanhando o médico até à porta da rua, perguntou-lhe
    qual era o verdadeiro estado do amigo. Ouviu que estava perdido, completamente perdido;
    mas, que o fosse animando. Para que tornar-lhe a morte mais aflitiva pela certeza?…
    – Lá isso, não, atalhou Rubião- para ele, morrer é negócio fácil. Nunca leu um livro
    que ele escreveu, há anos, não sei que negócio de filosofia. . .
    – Não; mas filosofia é uma cousa, e morrer de verdade é outra; adeus.”
    [Machado de Assis, Quincas Borba]

    até logo me professor, espero que tenha gostado do filme, inspirado também, na obra de Machado,: Quincas berro d’agua.

    • Olá Helder. É sempre um prazer receber seus comentários. Gostei muito de ter trazido o gênio Machado de Assis para sua análise. Li esta obra, mas já faz um bom tempo. Uma maravilha da nossa literatura. Não pude ainda assistir o filme, mas logo terei a oportunidade. Você é sempre bem-vindo. Grande abraço. Carlos

Obrigado por sua visita. Seja sempre bem-vindo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

🔴 FIM DO IMPERIALISMO?

🔴 MODERNIDADE E CRISTIANISMO

🔴 DEMONIOS E ALIENÍGENAS

🔴 PARA ONDE CAMINHA A HUMANIDADE?

🔴 TEORIA DA CONSPIRAÇÃO?

🔴 ASTEROIDE 2002 NT7

🔴MEDO DO APOCALIPSE

%d blogueiros gostam disto: